SIMPLICIDADE

Com novo cartão de pagamento, escolas têm mais facilidade para compra de serviços

Em educação, conexão vai além de acesso à internet. O computador e o smartphone ajudam a buscar informações e mantém a sala de aula atualizada com o mundo. Para Matheus Vinicius Cardoso, 15 anos, aluno do 1º ano do Ensino Médio Inovador da EEB Professora Jandira D’Ávila, em Joinville, essa ligação é fundamental. “A gente precisa de uma internet boa. É muito importante para todas as atividades”, diz o estudante, que usa a pesquisa online para trabalhos de escola e outras tarefas em sala de aula. 

Desde o lançamento do Cartão de Pagamento do Estado de Santa Catarina (Cpesc) Serviço, em março, a manutenção de equipamentos de informática na escola ficou garantida. O sistema facilitou a contratação de serviços que antes dependiam de empenhos de verba mais demorados. O novo mecanismo também assegurou à EEB Professora Jandira D’Ávila a manutenção do controle eletrônico do portão de acesso e dos ares-condicionados. “O portão eletrônico é a nossa segurança. Se fica aberto, qualquer pessoa pode entrar aqui dentro”, comenta o aluno.   

De acordo com o diretor da escola, Paulo César Cordeiro, antes do Cpesc Serviço, as contratações eram feitas com recursos da Associação de Pais e Professores (APP). “Não havia muito dinheiro, mas fazíamos pequenos reparos. Quando houve um vazamento, precisamos quebrar parede e trocar canos, gerou uma dívida grande. Com o cartão, eu consigo colocar em dia o pagamento de forma mais fácil”, diz o diretor. A EEB Professora Jandira D’Avila tem 1.170 alunos em três turnos. No Ensino Médio Inovador, há aulas complementares, como oficina de teatro e idiomas.

Em 2019, os diretores das escolas terão R$ 7,8 milhões para aplicar em serviços necessários às unidades escolares. Esse montante se soma aos R$ 10,2 milhões disponibilizados para compras urgentes de materiais de consumo, também com cartão, e aos R$ 900 mil para a aquisição de alimentos perecíveis que devem compor o cardápio da alimentação escolar em 90 unidades escolares que não possuem merenda terceirizada, previstos neste ano. Os recursos concedidos para cada escola são escalonados conforme o porte, com base nos dados do Censo Escolar, e variam de R$ 2,4 mil a R$ 15,3 mil.

O sistema informatizado do Cpesc Serviço simplifica a gestão escolar, garante mais eficiência e qualidade no dia a dia da escola. Ele é um dos exemplos de iniciativas colocadas em práticas neste ano pelo Governo do Estado, com o foco em simplificar as ações internas e a de diferente setores da sociedade.

Outras ações que simplificam a máquina pública e a vida dos catarinenses

  • A desativação das Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) vai contribuir para um Governo menos burocrático e mais ágil no atendimento aos municípios. Para deixar a relação Estado e cidades mais fácil e direta, a Secretaria da Casa Civil trabalha na implantação de um governo municipalista com a Central de Atendimento aos Municípios. Esta proximidade com os prefeitos já rendeu duas parcerias importantes. A primeira delas é a criação de núcleos com servidores efetivos que vão trabalhar dentro das associações de municípios, facilitando e agilizando a realização de convênios para obras e serviços. Outra parceria prevê a criação de consórcios para implantação de usinas de asfalto em todas as regiões.
  • Santur acaba de estabelecer um acordo de cooperação com renomados portais de viagem para coleta de informações sobre os usuários. Por meio dessa parceria, ambos passarão relatórios periódicos, visando entender melhor o perfil do turista que busca Santa Catarina.
  • Uma ação simples, mas que vai facilitar a vida de pesquisadores e historiadores é a mudança de local do Arquivo Público de Santa Catarina para nova sede. O novo espaço será onde atualmente funciona a secretaria de Turismo, Cultura e Esporte. O prédio será compartilhado com a Santur e trará mais conforto, agilidade e qualidade para os pesquisadores e os documentos em si, que irão ganhar um espaço adequado de armazenamento.
  • A nova gestão Imetro instaurou uma desburocratização da execução dos serviços internos e promoveu, assim, uma comunicação mais fácil entre setores.
  • Desde março deste ano, o Governo desenvolve um novo modelo de política industrial. O objetivo é reduzir custos de produção, simplificar os trâmites tributários e melhorar a competitividade da economia catarinense, redistribuindo os benefícios fiscais concedidos pelo Estado para toda a cadeia produtiva. Diversos setores já foram atendidos para discutir um modelo que atenda as necessidades, beneficiando a cadeia produtiva, o Poder Público e a sociedade.