Mais rapidez na hora de abrir empresa

O Governo de Santa Catarina lançou o Registro Automático para abertura de empresas. Com a novidade, o tempo médio do processo para algumas atividades passou de 40 para apenas cinco minutos. Nesta primeira etapa, o serviço digital foi disponibilizado para Empresário Individual (EI), Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI) e Responsabilidade Limitada (LTDA). Assim, com alguns cliques e em qualquer horário do dia é possível começar um negócio em Santa Catarina.

Santa Catarina é o primeiro Estado a dar segurança jurídica quanto à tributação de bens digitais

As empresas que trabalham com bens digitais em Santa Catarina já contam com segurança jurídica para continuar investindo e gerando empregos. O Estado foi o primeiro do Brasil a estabelecer, em lei, critérios para o ICMS nas operações com bens digitais. As entidades representativas do setor contribuíram para a viabilização do projeto. Hoje, a participação do setor de tecnologia no PIB catarinense é superior a 5%, com faturamento de aproximadamente R$ 15 bilhões ao ano.

Trabalho para aumentar a presença global

O Governo de Santa Catarina vem recebendo representantes de diversos países para discutir assuntos de interesse do Estado, como educação, investimentos internacionais e intercâmbio de tecnologias. O objetivo é trabalhar de forma mais proativa para ampliar a presença catarinense no exterior e, ao mesmo tempo, trazer capital e tecnologia estrangeiros para promover desenvolvimento econômico e qualidade de vida. Esse esforço é liderado pela Secretaria Executiva de Articulação Internacional.

Menor desemprego do Brasil – e diminuindo

Quando o assunto é geração de empregos, Santa Catarina vai muito bem. O estado reduziu de 7,2% para 6% a taxa de desocupação, consolidando-se com o menor índice do país.

Mais de 60 mil novos postos de trabalho formais

De janeiro a agosto, foram gerados 60.322 novos empregos formais, de acordo com dados do Ministério da Economia. O dado representa uma aceleração de 60% na geração de postos de trabalho em comparação com 2018, quando foram 37.587 no mesmo período.

Geração de empregos em alta

Santa Catarina tem batido sucessivos recordes na geração de empregos em 2019. Até outubro, o estado já havia gerado 85.018 empregos com carteira assinada, resultado 55% superior ao registrado no mesmo período do ano anterior, e o melhor desde 2013.

Boletim mensal facilita leitura de dados e análises indicadores econômicos de SC

Desde março de 2019, os principais indicadores econômicos de Santa Catarina estão disponíveis mensalmente para a sociedade de maneira clara e objetiva em um Boletim de Indicadores Econômico-Fiscais, elaborado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE). O relatório reúne informações mais recentes estatísticas econômicas oficiais, abrangendo informações sobre balança comercial, produção agrícola, industrial, volume de vendas e receitas do comércio, número de empresas constituídas e baixadas em SC e consumo de energia elétrica.

Estadualizado, Terminal Pesqueiro de Laguna vai gerar mais desenvolvimento

O primeiro passo para modernizar o Terminal Pesqueiro Público de Laguna já foi dado. O Governo do Estado assumiu a gestão do local. Com isso, a SCPar já administra a estrutura, com a perspectiva de contribuir com o trabalho de pescadores, conquistar novos mercados, aumentar a movimentação e gerar empregos na região. Agora, o Governo de Santa Catarina faz um trabalho coordenado entre vários setores, como as secretarias da Fazenda e do Desenvolvimento Econômico Sustentável, para atrair investimentos.

Mais de R$ 21 milhões concedidos pelo Juro Zero

O Programa Juro Zero, que se tornou referência para cidades e estados, já realizou mais de R$ 21,2 milhões em concessões até agosto de 2019, em 7.130 operações. O programa tem o objetivo de incentivar o empreendedorismo apoiando a base da economia catarinense onde.

Aumento de 4,29% no salário mínimo regional de SC

O salário mínimo regional de Santa Catarina teve um reajuste médio de 4,29% a partir de 1º de janeiro de 2019. Assim, os novos mínimos para as quatro faixas passam a ser de R$ 1.158, R$ 1.201, R$ 1.267 e R$ 1.325.